Connect with us

Atletismo

Atletismo: Tóquio 2020! O que falta para jaraguaense Simone Ferraz chegar às Olimpíadas

A oportunidade de acompanhar de perto os melhores corredores do mundo nas Olimpíadas do Rio de Janeiro de 2016 motivou Simone Ponte Ferraz a iniciar um projeto ambicioso, audacioso, mas acima de tudo, plausível para um atleta determinado.

E a expectativa, ainda modesta, criada há três anos em representar o Brasil na maratona dos Jogos de Tóquio, em 2020, ganhou corpo ao longo da jornada, e, hoje, o sonho que parecia distante está perto de virar realidade.

Foto: Eduardo Montecino/OCP News

Foto: Eduardo Montecino/OCP News

Natural de Ponte Serrada, no Oeste catarinense, mas radicada em Jaraguá do Sul há 13 anos, Simone caminha, ou melhor, corre a passos largos para ser a primeira atleta da história, natural ou radicada na cidade, a disputar o maior evento poliesportivo do mundo. Uma esperança que tomou forma por conta de uma evolução meteórica no esporte.

Quando iniciou o projeto em 2016, ela percorria 42km em 2h56min. Com a dedicação diária nos treinos, o tempo foi caindo gradativamente, até chegar a 2h38min, a melhor marca de sua carreira, registrada no último dia 28 de abril, na Maratona de Hamburgo, na Alemanha.

SAIBA MAIS: Em estreia na Europa, Simone Ferraz garante melhor colocação de um sul-americano na Maratona de Hamburgo

Ainda mais relevante do que baixar o tempo em 18 minutos, Simone já atingiu o índice olímpico e desponta como a terceira melhor maratonista do Brasil, restando pouco mais de um ano para a competição. Ou seja, se as Olimpíadas fossem hoje, a jaraguaense seria uma das corredoras da equipe brasileira.

Foto: Eduardo Montecino/OCP News

Foto: Eduardo Montecino/OCP News

Porém, faltando praticamente doze meses para o encerramento da tomada de índice, resta aguardar a Confederação Brasileira de Atletismo lançar os critérios de convocação, e, se possível, melhorar a marca para se tornar a número 1 do Brasil, o que garantiria sua passagem para Tóquio.

“Ainda tem muita gota de suor para derramar. Mas para Confederação também é importante ter um histórico de resultados e eles vão observar a sequência e regularidade do atleta. Por isso, estou muito confiante e é um sonho que está se tornando real”, destaca Simone.

Preparação intensa e apoio

O respeito ao corpo e a dedicação aos treinos é fundamental para tornar-se um atleta de elite. E estes são fatores que não faltam na trajetória de Simone Ponte Ferraz.

Desde que colocou a participação nos Jogos Olímpicos de 2020 como meta, a corredora vem abdicando de muitas coisas para se empenhar integralmente ao projeto. Os treinos são diários, em dois períodos, sendo o primeiro começando logo às 5h.

Foto: Eduardo Montecino/OCP News

Foto: Eduardo Montecino/OCP News

Ao todo, são percorridos de 120km a 150km por semana. Além disso, há toda uma equipe multidisciplinar por trás, que conta com médico, nutricionista, laboratório e farmácia de manipulação, que auxiliam na preparação e recuperação da atleta.

“Me dedico muito por esse sonho e estou muito feliz com essa fase que estou vivendo. Mas nenhum atleta vai longe sozinho. Só tenho a agradecer todos meus apoiadores, família, alunos, que me dão um suporte muito grande para eu chegar as Olimpíadas”, finaliza Simone.

More in Atletismo