Connect with us

Ciclismo

Ciclismo: Jaraguaense de 54 anos pedala mais de 300km para cumprir promessa

O “Pedal da Fé”, a maior trilha de peregrinação do Brasil, inspirada no lendário Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha, foi concluída por uma jaraguaense.

Em conjunto com outras 13 pessoas, de seis cidades catarinenses, Marinês Ronchi encarou seis dias e 324km de bicicleta até chegar ao Santuário de Aparecida, em Aparecida do Norte (SP).

Jaraguaense em sua chegada ao Santuário de Aparecida | Foto: Arquivo Pessoal

Jaraguaense em sua chegada ao Santuário de Aparecida | Foto: Arquivo Pessoal

A rota começou em Águas da Prata (SP), no dia 22 de junho, e terminou no sábado, 27, passando por 16 cidades entre os estados de São Paulo e Minas Gerais, com altimetria de aproximadamente 9 mil metros.

“A grande dificuldade foi a altimetria, porque todos os dias tem que subir muitas montanhas que parecem não terminar nunca. Tem que estar preparado fisicamente e psicologicamente para não se deixar abater e chegar até o final”, conta a guia de turismo e organizadora de eventos.

Obviamente, o cansaço foi sentido durante o percurso, mas não suficiente para fazê-los desistir pelo caminho. Munidos da bike, equipamentos e uma mochila, cada ciclista carregava um objetivo pessoal.

Para jaraguaense, eram especificamente dois. Um deles era o próprio desafio, completado por poucas mulheres. O outro de pagar uma promessa e agradecer Nossa Senhora da Aparecida.

Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal

Isso porque, ela sofreu um grave acidente sobre duas rodas em 2017, quando quebrou quatro ossos do quadril e demorou seis meses para se recuperar, sendo dois deles em uma cadeira de rodas, que colocou em xeque a possibilidade de voltar a pedalar.

Mas após muita dedicação no tratamento, Mari, como é conhecida, se reabilitou e teve uma preparação intensa até cumprir a promessa no último fim de semana.

“A satisfação de ter concluído foi um presente na minha vida, até porque já tenho 54 anos. Permito me desafiar de vez em quando, pois acho que estamos aqui para provar para nós mesmos que não há limite de idade. Quando temos vontade conseguimos”, destaca.

LEIA TAMBÉM:

– Jaraguaense é o primeiro brasileiro a fazer travessia da Transamazônica

– Após um ano de transplante no coração, atleta revive paixão pelo esporte

More in Ciclismo